quinta-feira, 31 de março de 2011

Festa do Curso de Medicina da UFPE levanta polêmica

Da WEB

Do educAÇÃO BR
Muita polêmica no copo d’água.

Polêmica para os ultraconservadores, pois só sendo mesmo para considerar essa festa um tamanho ato de transgressão, se ainda fosse na idade média, mas é uma posição que deve ser respeitada, no entanto, as “brincadeiras” organizadas e anunciadas para a festa dos estudantes também devem ser entendidas.

Gente, jogando a hipocrisia para longe e sem falso moralismo, essa festa é bem comum e de certa forma aceitável, o que está causando esse pequeno alvoroço, talvez seja o fato do evento ser de um curso tido como elitizado e a questão da divulgação das atrações ganharem destaque. Muitas festas de jovens, nos dias de hoje no Recife, no Brasil, e no mundo, seja de universitários ou não e até de maiores ou não, acontecem coisas mais pesadas do que essas que ocorrerão no evento do curso de medicina.

E é claro que não é o fato da festa não ter as atrações como o pole dance e o strip incompleto, que situações que os conservadores continuariam reprovando, não podem (não vão) acontecer. Pois para não acontecer situações como paquera, como os jovens dizem, “pegação”, consumo de drogas, licitas ou ilícitas, apelo sexual nas danças, nas músicas, nos comportamentos e as eventuais brigas, só se a festa for dentro de uma igreja, ou templo e ainda com uma fiscalização rígida em cima da meninada. 


Os educadores tem que trabalhar com a realidade cultural da nossa juventude e não simplesmente dizer que não aprovam e que é transgressão.     
     


Pole dance e strip em festa da UFPE 
Adaíra Sene. Diário de Pernambuco,
edição de 31 de março de 2011



Uma festa temática de estudantes de medicina está dando o que falar na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Com a Welcome Las Vegas, os alunos prometem pole dance, strip tease e até casamentos, no próximo dia 9, no Haras Boa Viagem. A ideia deixou os futuros doutores em êxtase pela ousada brincadeira, mas também provocou olhares de reprovação por parte dos mais conservadores. A instituição informou que não poderá intervir no evento, mas que o comportamento dos alunos - considerado eticamente transgressor - será avaliado pelo Núcleo de Apoio ao Estudante de Medicina (Naem).

O pole dance é uma dança sensual originada na Inglaterra que utiliza uma barra vertical para o bailarino realizar sua performance. É comumente associado a casas noturnas e clubes de strip tease. O lado ´sensual` da festa será contraposto com um cenário montado especialmente para os casais declararem seu amor. O casamento fictício com direito à aliança e certificado também está despertando a curiosidade e os comentários entre os estudantes. De acordo com os organizadores do evento, o objetivo é somente divertir e arrecadar dinheiro para a formatura. ´Promovemos festas desde o primeiro período. Nunca tivemos problemas. É só uma brincadeira. Contratamos profissionais para as danças e será proibida a entrada de pessoas com menos de 18 anos`, explicou a presidente da comissão de formatura, Marília Agostinho de Lima, 29. 

Na programação da Welcome Las Vegas estão previstos 15 minutos para uma mulher dançar no pole dance e 15 minutos para um homem realizar o strip (sem ficar completamente despido) no intervalo entre as bandas. Apesar dos estudantes, que ainda estão no 4º período, garantirem que a ideia é sensualizar e não sexualizar, nem todos ficaram satisfeitos. 

O coordenador do curso de medicina, Oscar Coutinho, adiantou que por se tratar de uma festa particular e fora da universidade nada poderá ser feito para impedir a realização, mas não escondeu a decepção. ´Não podemos censurar. Mas existem formas mais sutis e mais inteligentes de se fazer uma festa. Particularmente, acho um absurdo. Temos um núcleo de apoio psicopedagógico e vamos começar a refletir sobre o que está acontecendo com nossos alunos. Considero essa atitude eticamente transgressora`, disse.

De acordo com o MPPE, não há nada que proíba a realização de eventos particulares com esse tipo de atração desde que a censura seja para maiores de 18 anos. O Centro de Apoio Operacional às Promotorias da Infância e Juventude (Caop) informou que só poderá interferir se alguma denúncia for formalizada.

"É uma brincadeira. Contratamos profissionais para as danças. E só entra quem tiver mais de 18 anos` Marília Agostinho de Lima, 29 anos, presidente da comissão de formatura 

"Não podemos censurar. Mas considero essa atitude eticamente transgressora` Oscar Coutinho, coordenador do curso de medicina da UFPE

"A festa tem tudo para ser um sucesso. Estou curioso e acredito que não haverá problemas. A polêmica é de um pequeno grupo, mas o evento é só uma brincadeira" José Rebelo, 21 anos - estudante de medicina

"Acho que a preocupação maior tem que ser em relação à bebida e à segurança. As atrações estão ótimas e a turma tem fama de fazer festas sadias`l Renata Cabral, 22 - estudante de medicina 

Lula. Doutor sem doutorado, Doutor por honra.

video
Jornal Nacional - TV Globo

Ex-presidente Lula. Doutor Honoris Causa pela Universidade de Coimbra.

Do educAÇÃO BR

Nosso ex-presidente, que ainda não saiu dos holofotes, e pelo jeito, não vai colocar sua barba de molho nem tão cedo. Sua vitalidade e carisma perante o povo e na imprensa não deixam. Interessante olhar no passado não distante e verificar as críticas sobre sua escolaridade, sobre seu português, hoje a oposição e até a midia pegam bem leve, ou nem pegam mais, sabem que se prejudicam eleitoralmente ou na audiência. A própria Globo que batia no presidente, agora bate palmas.
Mas poderia Lula receber tal título se não fosse sua imensa popularidade no Brasil e no mundo? Lula poderia ser doutor pela forma convencional, com uma tese de doutorado?
Doutor honoris causa significa que o grau de “doutor” foi atribuído “a título de honra” e não por prestação de uma prova acadêmica (tese de doutoramento). No entanto o titulo ao ex-presidente é merecido, Lula soube usar nos seus oito anos, sua posição para promover avanços em várias áreas, dentro e fora do Brasil, elevou o país a condições diplomáticas de igualdade com os mais poderosos do globo, se envolveu com personalidade em temas mundiais como a paz e até a guerra, a preservação ambiental, a pobreza dos povos.

Ele escreveu sua tese com ações, com palavras, com posturas no decorrer da vida, quem pode negar que o menino Luís, se ele tivesse uma infância diferente, estrutura financeira diferente na juventude, fosse de família rica e não precisasse trabalhar e só estudar, quem pode negar que ele não poderia ter seu doutorado, como a maioria dos presidentes do Brasil? Fato que o torna especial, pois ele nem precisou disso.

Pela sua vida que desde moço sempre foi publica, nos tempos de sindicalismo na região do ABC em São Paulo, fez da politica seu oficio, a vida foi sua universidade, história que virou até filme. Um título de “Doutor na vida” concedido por uma universidade de 700 anos cai bem ao nordestino que ganhou o Brasil e o mundo, que venceu a fome, a seca, as dificuldades impostas pela pobreza, o preconceito dos poderosos.
Para um senhor que muitas vezes foi tachado de analfabeto, alcoólatra, esse seu titulo por si só ensina mais uma vez aos metidos a intelectuais, críticos, aos elitistas que devem estar se remoendo com tamanha honraria, afogados na inveja e no despeito, que a ignorância pode ser algo muito distante da falta de formação acadêmica e que nem sempre andam juntas. 
O ignorante pensa que sabe de tudo e não precisa aprender mais nada, muitos doutores são assim, arrogantes, já o sábio pensa o contrário, tem a humildade, característica da personalidade de Lula, que com certeza, pela sua experiência de vida e política, pode dar muitas “aulas” aos universitários que fazem cursos na área de ciências politicas, sociologia, relações internacionais, economia, não do jeito convencional, técnico ou formal de um professor universitário, mas do melhor jeito, o simples, daquele que quem sabe, ensina.



terça-feira, 29 de março de 2011

Conheçam grandes educadores, do Brasil e do mundo.


Jean Piaget
Paulo Freire
Sigmund Freud
A coleção com 61 autores encontra-se disponível para download no site do Domínio Público, a organização é do Ministério da Educação. Nomes brasileiros como Paulo Freire, Darcy Ribeiro e Heitor Villa-Lobos e estrangeiros como Jean Piaget, Vygotsky e Freud estão à disposição. As obras trazem grandes nomes, contam sobre suas vidas e suas produções, voltadas para a contribuição nos avanços da educação global, uns de forma mais direta e outros menos, em diversas áreas do conhecimento.



O educAÇÃO BR presta esse serviço de divulgação de uma valorosa e bem trabalhada coleção aos internautas que nos prestigiam acessando o nosso blog. Boa leitura.

Link direto para os downloads:

Da Série: Rir Para Não Chorar. Nº2


UMA AULA COM O PROFESSOR MADRUGA. ATENÇÃO TURMA!

O educAÇÃO BR lança o segundo post dessa série que pretende provocar algumas risadas nos queridos educadores.



Pensando bem, muitos professores precisam de elementos da didática do Seu Madruga, dessa energia ao ensinar. Muitos professores aqui no Brasil não chegam aos pés do pai da Chiquinha  e não tem o espirito de educador e a fé nas crianças do Professor Girafales.

segunda-feira, 28 de março de 2011

Fundação inscreve para curso na área de medicina

 

O curso ocorre nos dias 08 e 09 de abril e vai abordar conceitos da área baseados em análise crítica científica, através da interpretação de estudos já conhecidos

Da Redação do pe360graus.com

Estudantes de Medicina, médicos e outros profissionais de saúde já podem se inscrever para o curso "Conceitos da Medicina Baseados em Evidências para Análise Crítica da Literatura Científica". O evento ocorre em abril: nos dias 08, das 16h às 22h, e 09, das 8h às 13h.

O curso é promovido pela Fundação Científica do Grupo Unicordis (Funcordis) e vai abordar os atuais conceitos da Medicina baseados em análise crítica científica, através da interpretação de estudos já conhecidos.

Quem vai ministrar o curso é o baiano Luís Cláudio Correia. Além de médico, ele é doutor em Medicina e Saúde, livre-docente em Cardiologia e professor-adjunto da Escola Baiana de Medicina.

Mais informações sobre as inscrições e o curso podem ser obtidas pelos telefones 2121-5270 e 2121-5229.

domingo, 27 de março de 2011

Abertura de inscrições para projetos de pesquisa no CNPq

CNPq abre inscrições para projetos em pesquisa, desenvolvimento e inovação
As inscrições podem ser feitas até o dia dois de maio
Da Redação do pe360graus.com
O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) lança edital nº 05/2011 que irá receber propostas de projetos nas áreas de pesquisa, desenvolvimento e inovação.  As inscrições podem ser feitas até o dia dois de maio.

Os projetos devem ser nas áreas de matemática, física e biodiversidade. Mais informações podem ser obtidas no site do CNPq.

sexta-feira, 25 de março de 2011

Garoto australiano enfrenta seus agressores. Bullying, quem sai vencedor?

Entrevista com Casey Haynes, a vitima na cena de Bullying. 15 anos
Uma cena de bullying gravada em vídeo se espalhou rapidamente pela internet nos últimos dias e ganhou destaque na imprensa mundial. As imagens, registradas em uma escola australiana, mostram o momento em que Casey Heynes - aluno de 15 anos constantemente agredido pelos colegas - se rebela e parte para cima de um de seus agressores. Com o sucesso na rede, Heynes passou de vítima a herói. Alguns dias depois, os dois garotos eram entrevistados em programas de televisão, apresentando sua versão dos fatos (assista aos vídeos).

Ritchard Gale, o agressor da cena. 12 anos

Do educAÇÃO BR
Um assunto muito sério, que foi explorado pela mídia e serviu tanto para reflexões com seriedade quanto para descontração, diversão e comércio midiático no mundo todo. Estas consequências da cena, são mais elementos a serem refletidos e tratados, englobam o universo do bullying, que é um termo em inglês utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, praticados por um indivíduo (bully - «tiranete» ou «valentão») ou grupo de indivíduos com o objetivo de intimidar ou agredir outro indivíduo (ou grupo de indivíduos) incapaz(es) de se defender. Também existem as vítimas/agressoras, ou autores/alvos, que em determinados momentos cometem agressões, porém também são vítimas de bullying pela turma. . O que as pessoas pensam desses atos, as reações ao verem tal cena, define a complexidade da questão.
Quem sofre com o bullying? O agredido somente? Ou os agressores também sofrem?
Na pedagogia do oprimido de Paulo Freire, ele coloca que tanto o oprimido quanto o opressor participam do mesmo processo de “desumanização”, ambos são vitimas das situações concretas de opressão, ambos sofrem, mas de formas diferentes.
Podemos notar esses prejuízos para ambos os lados, neste caso da Austrália, que ocorre com frequência em todas as partes do mundo, com o nosso estilo de vida, onde padrões são fixados e ensinados as crianças que a felicidade se encontra somente neles, fora deles estão os fracos, os fracassados, uma sociedade de consumo que bombardeia os jovens com a ideia que o ter é mais importante que o ser, onde a competição é levada a níveis extremos, o bullying aparece como a ponta de um grande iceberg.
Quando isso acontece, quando cenas dessa natureza são dramatizadas na vida real, significa que todos falharam, em maior ou menor intensidade, falha da escola, dos professores, dos estudantes, dos adultos, das famílias, da mídia, ou seja, a humanidade está falhando.
O garoto reagiu ao sistema que lhe oprimia há anos, fez o que muitos fariam e que muitos orientam fazer, foi consagrado vencedor pela opinião publica e seus agressores, os párias da sociedade. Mas a questão é, houve mesmo vencedor? Como em uma guerra, qual lado vence depois de mortos, feridos e destruição?
A luta do garoto contra o bullying e outras formas de opressão continua assim como a de seus agressores, pois a suas vidas devem seguir, com eles devem lutar todos, por uma mesma causa, a “humanização” geral das nossas relações em sociedade. Quando isso ocorrer, sim, no final teremos um lado vitorioso, a humanidade.

 

quinta-feira, 24 de março de 2011

MP para garantir aos municípios creches públicas

A presidente Dilma Rousseff participa de cerimônia
de assinatura de termos de compromisso entre o
governo federal e municípios para a construção
de novas unidades de educação infantil
(Foto: Antonio Cruz/ABr)

Dilma anuncia MP para garantir recursos a creches públicas

 

Ela afirmou que investir em educação é chave para desenvolvimento; presidente disse que terá boa relação com prefeitos de todos os partidos

Fonte: G1

A presidente Dilma Rousseff anunciou nesta quinta-feira (24), durante cerimônia no Palácio do Planalto, que editará uma medida provisória para garantir o custeio de creches públicas. Os recursos servirão para financiar as unidades de educação infantil durante o período em que as prefeituras não receberem repasses do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb).

Segundo a assessoria do Ministério da Educação, a MP ajudaria a pagar os gastos com custeio do momento em que a creche fica pronta até a prefeitura provar ao Fundeb que a unidade está, efetivamente, em operação.

“A gente sabe que, no caso de creche, o custeio pesa mais do que o investimento. Vamos enviar uma MP ao Congresso para bancar com recursos do Ministério da Educação esse interregno até vocês receberem os recursos do Fundeb. Justamente porque a gente quer que as coisas fluam de maneira a garantir que as crianças tenham suas oportunidades garantidas”, disse, sem dar detalhes sobre valores.

Dilma participou de cerimônia no Palácio do Planalto de assinatura de termos de compromisso entre o governo federal e municípios para a construção de 718 creches públicas, e fez a entrega simbólica de 54 unidades de educação infantil. No discurso, a presidente destacou que investir na educação de crianças e jovens é essencial para o desenvolvimento do país.

“Um país que dá importância a suas crianças afirma o seu futuro, a sua nacionalidade e constrói o verdadeiro caminho do desenvolvimento. Cuidar das crianças é questão decisiva para que nosso país seja desenvolvido. Se nós quisermos ser um país desenvolvido temos de olhar com especial atenção para o que é feito das nossas crianças”, afirmou.

A presidente também reforçou o compromisso de manter, durante o atual governo, uma boa relação com as prefeituras. Segundo ela, a filiação partidária dos prefeitos não vai influenciar nas parcerias com o governo federal.

“Ser republicano, não olhar origem partidária dos prefeitos é algo fundamental se esse país quer de fato construir democracia sólida e efetiva”, afirmou.

Segundo Dilma, o Brasil está no rumo certo do crescimento econômico e desenvolvimento social. “O Brasil está num momento histórico e especial de sua vida. Continuamos a possibilidade de criarmos uma economia com base no controle da inflação e economia sustentável, gerando empregos para a ampla maioria da sua população.”

Ao final da cerimônia, ela foi questionada sobre o pedido de demissão da presidente da Caixa Econômica Federal, Maria Fernanda Ramos Coelho, mas evitou comentar o assunto. “Aguarde”, disse a presidente.

ESTUDANTES
Após a cerimônia no Planalto, Dilma se reuniu com representantes da União Nacional dos Estudantes (UNE) e da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES). Os estudantes pediram à presidente que o governo invista 10% do Produto Interno Bruto (PIB) em educação.

Eles defenderam ainda que 50% dos recursos do pré-sal sejam investidos na área. Segundo o presidente da UNE, Augusto Chagas, Dilma recebeu bem a proposta e disse que se trata de uma "luta legítima".

"Ela se mostrou convencida de que a educação precisa ser prioridade da agenda nacional", afirmou Chagas. Mais cedo nesta quinta, estudantes fizeram uma manifestação em frente ao Congresso Nacional para defender maiores investimentos em educação.

Eles invadiram o espelho d'água do Congresso. Três paraquedistas, que usavam a bandeira da UNE, pousaram no gramado da Esplanada.

Saunas de Aula. Estudantes da UFPE tiram a roupa em protesto


Guga Matos/JC Imagem/AE
Alunos de engenharia da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco) protestaram nesta quarta-feira (23) contra a falta de climatização nas salas de aula da Área 2, do Centro de Ciências Exatas e da Natureza (CCEN) e do Centro de Tecnologia e Geociências (CTG)

Do educAÇÃO BR

Uma pergunta, os outros centros da Universidade Federal de Pernambuco, fora o CCEN e CTG, como o Centro de Arte e Cultura (CAC), o Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH), entre outros, são climatizados? Ou a resposta é sim, ou então, os estudantes da UFPE são muito desunidos e desarticulados no seu movimento estudantil.

Mas de qualquer forma, foi um protesto válido, Recife é uma cidade muito quente, diante dos montantes dos recursos do governo federal para as universidades, é necessário um planejamento orçamentário pensando na climatização das salas de aula, em cidades como a capital pernambucana, é uma necessidade básica.

MEC libera recursos do PAC 2 para secretarias construirem creches e quadras

Portal do MEC

 


Da WEB


 

Secretarias têm 18 meses para construir creches e quadras





Do educAÇÃO BR
Noticias como essas, de recursos já liberados, destinados para educação, são de saltar aos olhos, mas depois da emoção, é hora da razão, estamos no Brasil. Sabemos que existem esquemas de desvio de dinheiro, superfaturamento em quadras e creches, fazem as construções de qualquer jeito, com materiais de péssima qualidade ou pior, chegam a não fazer, mas dão um jeito de constar que a obra foi executada. Não é mania de perseguir os governos, é o Brasil mesmo. Esse crime absurdo de desviar verbas da educação é um atentado contra a nação e a esta, e as futuras gerações.  No interior, em municípios menores, é mais comum ocorrer esse absurdo pela falta de fiscalização.
Cabe à sociedade fiscalizar, as associações de pais, estudantes, professores observarem o andamento das obras, da licitação a execução da obra, os valores, os prazos para conclusão. É preciso ficar de olho, não confiar muito. O Brasil tem mudado muito nas ultimas décadas, mas estes costumes criminosos dos nossos políticos ainda existem, e como! 
MEC

Municípios, estados e o Distrito Federal terão 18 meses para finalizar obras de creches e quadras esportivas escolares cobertas custeadas com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2). Esse prazo começa a contar a partir da liberação dos recursos pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e consta de resolução publicada nesta terça-feira, 22, no Diário Oficial da União, que estabelece os critérios de transferência de recursos do governo federal para a construção de unidades de educação infantil e quadras.

Depois de aprovados os projetos, os recursos serão liberados em duas parcelas. A primeira será repassada pelo FNDE após a assinatura do termo de compromisso para a execução da obra. A segunda, depois de análises técnicas específicas de cada caso. O prazo de 18 meses começa a contar a partir do recebimento da primeira parcela.

Após terminar a obra ou o prazo limite para a execução, os beneficiados terão 60 dias para prestar contas ao FNDE dos recursos recebidos. Entre os documentos necessários para comprovar a devida utilização dos recursos estão a cópia do despacho adjudicatário e homologação de licitações realizadas para a execução da obra; a relação de pagamentos efetuados, de bens adquiridos, produzidos ou construídos com recursos da União; extratos bancários da conta corrente em que os recursos foram depositados, entre outros. É preciso também comprovar o domínio dos terrenos, por meio de cópia da certidão atualizada e autenticada do imóvel.

Assessoria de Comunicação Social

quarta-feira, 23 de março de 2011

Os Caminhos da Educação - Debate promovido na Rádio Jornal nesta manhã

Da WEB
Do educAÇÃO BR 
Na manhã desta quarta, houve um debate na Rádio Jornal, no programa de Geraldo Freire, com o tema: Os Caminhos da Educação no Brasil. O programa foi ao ar às 11 horas e encerrou ao meio dia, pouco tempo para um tema tão abrangente.
O debate foi comandado pelo jornalista Haroldo Costa, participaram do programa, o secretário de educação de Pernambuco, Anderson Gomes, o coordenador do sindicato das escolas particulares de Pernambuco, Francisco Ferreira e o diretor da faculdade IBGM, Laércio Guerra.
O debate foi solto, não houve polemica e apesar de ser divulgado o telefone para participação dos ouvintes, essa interatividade não foi usada. Os participantes falaram de forma aberta e pessoal sobre alguns pontos da educação em Pernambuco e no Brasil. No inicio, os três se posicionaram quanto a problemas ainda existentes, retrospectiva histórica da educação, ações que devem e podem ser feitas para melhorar a situação.
O secretário de educação, Anderson Gomes colocou que nos dez últimos anos, é que o Brasil passou a ter melhores condições para regulamentar medidas mais eficazes para melhoria da educação, por conta de indicadores como o IDEB e o ENEM, e a partir destes dados, governos passaram a ter mais segurança e iniciaram um processo de saída do discurso e entraram na prática.  Citou as medidas e os esforços que o governo de Pernambuco vem fazendo nos últimos anos, como a melhoria na infraestrutura e citou medidas que beneficiam os professores como a compra de microfones para ajudar no trabalho nas salas de aula.
Disse ainda que a preocupação do governo continua e que uma medida importante para a melhoria da qualidade da educação no estado está em processo, trata-se da elevação das escolas na condição de unidades de ensino com regime em tempo integral, afirmou que até 2014 o governo pretende adotar em todas as escolas este regime.
O professor Francisco Ferreira atentou para a questão salarial, as péssimas condições de trabalho e a estrutura das escolas. Afirmou que estes são fatores que agravam a falta de profissionais na área da educação, citou a grande queda no preenchimento das vagas do curso de pedagogia nas universidades.
O Diretor da faculdade IBGM, Laércio Guerra falou que é preciso levar em consideração não somente, o que ele denominou de “macro politicas”, como a estrutura, a questão salarial, mas se ater as “micro politicas” na educação. Dentre estas, estariam às ações para evitar a evasão escolar, citou que na rede particular o problema chega a 40% e indagou que na rede pública a situação deve ser bem pior.
Colocou que o problema da evasão, se deve ao modelo escolar ainda adotado no ensino brasileiro, onde as escolas não são atraentes para os jovens, onde os professores não dominam ainda instrumentos de informática, mídia nas suas aulas, citou a falta de preparo de professores para dar aulas que façam os estudantes gostarem do cotidiano escolar. Laércio disse também que tem observado um crescimento no setor em Pernambuco e que a situação já foi muito pior, colocou que o abismo que existia no nível de aprendizado, entre estudantes da rede privada e da rede pública, tem diminuído nos últimos anos.
Depois, Haroldo Costa leu alguns comentários e perguntas dos internautas, disse que muitas se repetiam sobre a questão das contratações irregulares e a não convocação dos professores aprovados no último concurso da SEDUC - PE. Além dessas questões, houve participações que diziam não ver nas suas localidades, melhorias nas escolas, comentários sobre o salário de professor no estado, entre outras.
O secretário de educação respondeu a questão dos concursados, colocando que se reuniu com o grupo de professores representantes dos aprovados e que está ciente das reinvindicações. Justificou que só poderá dar uma resposta concreta sobre nomeação depois de feito o reordenamento na rede, para não ocorrer de nomearem professores em local onde já existem efetivos em licença, essas que os efetivos têm direito e que segundo o secretário, justifica a colocação de temporários. Disse ainda que o MP vem acompanhando o caso e que a promotoria, entendendo a situação da secretaria em fazer o tal reordenamento, concedeu mais prazos para a entrega de um diagnostico que está sendo acelerado. Afirmou que a entrega poderá acorrer até o final de abril.
Perto do fim do programa, os participantes ainda falaram sobre a necessidade de professores das áreas de ciências, como física e química (tanto na rede pública como na privada), sobre a dificuldade que se tem em formar estes profissionais para atuarem nas salas de aula. Comentou-se da falta de boas remunerações e planos de cargos e carreiras, fatores que não atraem os jovens para trabalhar na educação, os mesmos procuram áreas ligadas aos investimentos em SUAPE, como também ocorre o fenômeno da migração dos que já atuam na educação para outras áreas, onde a remuneração, as condições de trabalho e o reconhecimento são melhores.




    

terça-feira, 22 de março de 2011

Mestrado gratuito e a distancia para professores da rede pública


Da WEB
Do educAÇÃO BR
Esperamos que esses mestrados sejam de qualidade, pois existem em parte, resistência e desconfianças quanto à eficácia e qualidade na formação a distancia. Presencialmente as coisas já são difíceis, e a distancia? Mesmo assim, essa medida é necessária para a melhoria do ensino no Brasil e é de fato um investimento no profissional da educação, mas se não for bem gerida, bem fiscalizada, os próprios professores podem não levar a sério e o governo fingir que está tudo bem, como já é de costume, e isso virar apenas mais um instrumento de cunho eleitoral, uma estratégia politica para ganhar adesão e apoio dos professores brasileiros e de quebra, o governo sair de bem feitor da educação.
O melhor da noticia, é que os professores poderão somar a bolsa aos seus “parcos” salários, fator que vai fazer chover docentes atrás dessa formação, muitos deixando a questão do conhecimento em ultimo plano, só visando à grana. No entanto, como já foi dito, é uma ação necessária. Ainda é colocado que cursos presenciais podem existir, depende das instituições responsáveis. Outra coisa que devemos nos ater, é a questão da seleção, será que qualquer professor da rede pública, realmente vai ter igualdade na seleção da bolsa de mestrado? Ou veremos certa vantagem para aqueles envolvidos em panelas das secretarias de educação ou das instituições de ensino ou até mesmo de sindicatos? Ficaremos atentos.
Do MEC.

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) concederá bolsas de mestrado profissional a distância para professores da educação básica que lecionam em escolas públicas.
A medida foi anunciada ontem (21) pelo ministro da Educação, Fernando Haddad, em cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília, onde a presidente da República, Dilma Rousseff, condecorou 11 educadoras com a medalha da Ordem Nacional do Mérito.

As bolsas exigem dos docentes o compromisso de continuar em exercício na rede pública por um período de cinco anos após a conclusão do mestrado. Os docentes que descumprirem este prazo terão de devolver os recursos.

De acordo com o Ministério da Educação, a inciativa integra um conjunto de ações para elevar a qualidade da educação básica, definida pelo MEC como “área excepcionalmente priorizada”, no intuito de cumprir a meta do país de atingir a nota 6 no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) até 2021. 

“Queremos garantir o prosseguimento do estudo do professor, agora com mais que uma especialização – com um mestrado”, explicou Haddad. A cada mês de março, o benefício será liberado e terá vigência máxima de 24 meses e os professores poderão acumular a bolsa com seus salários.

As próprias instituições de ensino vão estabelecer seus critérios de seleção. Ainda segundo o ministério, existe também a possibilidade de concessão de bolsas para mestrados presenciais, desde que em cursos aprovados pela Capes e consideradas algumas situações de interesse específico do Estado.

segunda-feira, 21 de março de 2011

Arte Contra a Falta de Educação


Grafite contra bullying. TV iG
Pichações em ponte no Recife

O grafite é usado em escola do DF para fazer a comunidade escolar refletir sobre o bullying.

Do educAÇÃO BR
Estudantes de escola no Distrito Federal dão um exemplo de que a arte humaniza e provoca a reflexão sobre o que é bom, o que é ruim, o certo, o errado, o que podemos ou não fazer para harmonizar as relações em sociedade, ou seja, a arte tem uma função pedagógica, educa.
Esta expressão artística, o grafite surgiu das mãos de jovens que outrora sujaram as cidades com a intenção de demarcar territórios, de provocar grupos rivais ou provocarem a autoridade, a lei. Os mesmos, inseridos no processo dialético, histórico, colocaram a mão na consciência e a outra na latinha de spray e iniciaram uma abordagem que continua provocando, mas de outras formas. Suas expressões incorporaram ideologia, fundamentos, estéticas próprias, constituindo-se em um dos elementos de um movimento cultural iniciado nos Estados Unidos na década de 80, o Hip Hop, ganharam paredes, muros, fachadas e espectadores de uma arte urbana cada vez mais comum nas cidades.
Bem aventurada à escola, sua diretoria, professores, sua comunidade, que estão abertas para iniciativas dessa natureza para tratar de questões como o bullying e tantas outras que assolam a harmonia nos ambientes escolares. Infelizmente para alguns que se dizem educadores, tais iniciativas ainda soam como algo “marginal” no pior sentido do termo, dentro de um convencionalismo cego e caduco, ainda presentes em muitas unidades de ensino do nosso país, ficam sem apoio ou são podadas.

Arte contra o vandalismo.
O nosso Recife e região metropolitana têm muitas pichações, como também muito lixo nas ruas, nas calçadas, depredações de estatuas, telefones, praças, postes, sem falar no mau cheiro. É ou não é uma questão de educação da nossa população? Como também, é um indicador, um medidor do descaso dos governos federal, estadual e municipal na viabilização de politicas públicas que corrijam essa realidade que não anda saindo bem nas fotos de nossos turistas.

Encontramos no Recife ações de grafiteiros para tentar fazer, provocar a reflexão dos recifenses quanto a participação política, a consciência cidadã, ambiental, como também homenagens as personalidades e elementos da cultura pernambucana estão gravadas pela cidade, é a arte tentando vencer a falta de educação.
E como já é discurso corriqueiro, mas tem que ser repetido, essas medidas de correção do quadro social, só tem efeito pleno se seus primeiros traços iniciarem na escola. Mas se nossos representantes não ligam, só fazem borrões, meros esboços, pintam o 7 na educação, o quadro fica péssimo. 
Viva a arte viva!
  

domingo, 20 de março de 2011

Semana Chico Science. De 21 de março até 1º de abril

Semana Chico Science propõe reflexão sobre a influência da África na cultura

Programação é composta por documentários, seminário, oficinas, show e intervenção artística

Da Redação do pe360graus.com
divulgação
Foto: divulgação
O Memorial Chico Science promove, da próxima segunda-feira (21) até 1º de abril, a 2ª edição da Semana Chico Science. O evento que homenageia o músico líder do Mangue Beat  traz o tema “Do Africanismo ao Mangue”. A entrada é aberta ao público.

A iniciativa busca refletir sobre a influência da África na cultura local, brasileira e mundial. Com curadoria de Helder Aragão, mais conhecido como DJ Dolores, o evento conta com exibição de documentários, seminário, oficinas e intervenção artística.

A programação está concentrada até 25 de março, mas se estende até 1º de abril, com uma das oficinas. O encerramento do evento será com show da Orquestra Santa Massa, projeto do DJ Dolores, no dia 1º de abril, às 20h, no Pátio de São Pedro.

A mostra de documentários traz longas-metragens sobre o kuduro, gênero musical angolano que se tornou um fenômeno internacional, o dub jamaicano e sua influência no hip hop e na música eletrônica e sobre o pai do afro beat Fela Kuti.

O evento também aborda questões da música, trazendo inclusive o autor do documentário “Dub Echoes”, Bruno Natal, que vai expandir a reflexão da música para outras áreas.

Os debates irão abordar aspectos referentes ao imaginário da cultura africana e a questões de gênero e sexualidade, com a participação do jornalista Xico Sá, da filósofa Bruna Dildeberg, dos antropólogo Raul Lody e Osmundo Pinho, do professor doutor em Literatura Anco Márcio e do cineasta Marcelo Caetano. 

Na área de formação, a Semana Chico Science oferece a oficina “Tambor dispositivo” com o artista-pesquisador Ricardo Brazileiro, que propõe um laboratório em linguagens eletrônicas para criação de módulos sonoros interativos adaptados a estrutura de um tambor.

Após a Semana, o Memorial Chico Science promove outra oficina que une música e tecnologia, com o grupo Altovolts. A oficina de “Eletrônica Musical” será dedicada a construir artesanalmente pedais de efeito, caixas acústicas e, principalmente, amplificadores valvulados para instrumentos musicais. 

A programação também oferece atividades artísticas nos dias 23 e 24 de março, sempre a partir das 14h, no Nascedouro de Peixinhos. Haverá mutirão de grafite com integrantes da Rede Resistência Solidária, coordenado pelo grafiteiro Galo de Souza.

O Memorial Chico Science fica no Pátio de São Pedro, Casa 21, no bairro de São José. Outras informações pelos números 3355.3158, 3355.3159, ou pelo site do Memorial.

SERVIÇO
Semana Chico Science
De 21 até 1º de abril de 2011
Memorial Chico Science - Pátio de São Pedro, Casa 21, São José
Cine-teatro Apolo – Rua do Apolo, 121, Bairro do Recife
Livraria Cultura – Paço Alfândega – Rua Madre de Deus, Bairro do Recife
Informações: (81) 3355.3158 | 3355.3159 | www.memorialchicoscience.com

sexta-feira, 18 de março de 2011

O descaso na educação desbanca as falsas propagandas do governo em PE

Reportagem exibida no NETV 1ª edição da Rede Globo. 17 de Março.
A Escola Estadual Anthenor Guimarães, referência em Ensino Médio, não superou os estragos da tragédia de junho do ano passado; as promessas foram muitas, mas, até agora, nada foi feito.
Do educAÇÃO BR
A imprensa tem um papel importantíssimo na democracia, quando a mesma é feita de forma imparcial (o que é difícil), ética, torna-se de fato um grande instrumento para alertar a população da realidade que a rodeia e que os governos obviamente, não expõem do mesmo jeito que fazem questão e gastam muito dinheiro (nosso dinheiro) para expor com propagandas os seus "acertos".
Com essa, já é a terceira reportagem (da Globo) denunciando situações dessa natureza em unidades de ensino da rede pública estadual, se equipes de jornalismo forem atrás, encontrarão dúzias de escolas na mesma situação ou “pouco melhores”, não só nas áreas que foram impactadas com as enchentes, em todas as regiões. O governo segue publicando seu potencial econômico, seu crescimento acima da média nacional, na educação segue o caminho do ilusionismo, com propagandas encomendadas, mostrando avanços, dando entender que as ditas melhorias são no estado todo, que as escolas não tem carência de professores, que estão investindo, preocupados, resolvendo tudo e melhorando o que já foi feito.

Não estamos aqui criticando um governo por não resolver a situação do serviço e da infraestrutura das escolas logo após um desastre natural (enchentes), como o que ocorreu em Pernambuco, na zona da Mata Sul, na metade de 2010, é humanamente e politicamente impossível ter a situação totalmente sanada em um prazo curto depois de catástrofes, que o digam nossos irmãos japoneses agora. A indignação, é que após 9 meses, o governo não fez nada, só enrolação, e ainda deixam as crianças continuarem no prédio absolutamente inóspito, insalubre, sem condições nenhuma de nada, quanto mais de educar e ser educado.
Detalhe: A Escola Estadual Anthenor Guimarães em Barreiros é classificada como de referência em Ensino Médio e funciona em regime semi-integral. É difícil de acreditar!

Votação da ADI 4167 contra o Piso Nacional dos Professores é adiada.


Foto: Renato AlvesA Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 4.167 que trata da Lei do Piso e que seria votada ontem, 17 de março, pelos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) foi retirada da pauta de votação.
O ministro Cezar Peluso afirmou que irá se reunir na terça-feira, 22, à tarde, com os deputados da Frente Parlamentar para debater a questão do Piso e só então colocará a Ação na pauta de votação. A reunião será acompanhada pela direção da CNTE que aproveitará o momento para exigir do Presidente do STF a data precisa do julgamento. Com isso, a Confederação poderá preparar as atividades em frente ao Supremo. 
Entenda o caso:
 
Em 2008, o então presidente Lula sancionou a Lei 11.738, conhecida como Lei do Piso do Magistério e que regulamenta a base salarial dos professores em todo o Brasil. Na época, a Lei determinava um valor de R$950,00, somados aí o salário e as gratificações e vantagens para uma carga horária de até 40 horas semanais para os profissionais com formação de nível médio. O valor ainda que não fosse o ideal e reivindicado pela CNTE, dava forças para que a categoria seguisse confiante no trabalho e na luta por um salário melhor.

Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Ceará contestaram e, com o argumento de que não tinham recursos para pagar o valor determinado em Lei, entraram no mesmo ano com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade.  Em dezembro de 2008, a Ação foi julgada (liminarmente) pelo Supremo que reconheceu a legitimidade da Lei, porém com a limitação de dois dispositivos: o da composição do piso e o que trata da jornada fora de sala de aula. Estes dois pontos ficaram para ser julgados mais tarde e são estes pautados para julgamento no dia 17. Em janeiro deste ano o governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, pediu a exclusão do seu estado da Ação. Pedido que foi negado pelo ministro Joaquim Barbosa, já que, no entendimento dele, o relatório já havia sido entregue.

Composição do Piso:
 
Segundo os governadores que entraram com a ADI, os estados não estão preparados para suportar a despesa de pagar um valor mínimo para os professores. Argumento que foi arduamente contestado pelo ministro da Educação, Fernando Haddad. Segundo ele, no texto que criou o Fundo Nacional de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), em 2006, já havia a previsão para a instituição de um piso nacional para os professores. "Eu entendo que essa ADI não deva prosperar porque foi feita uma mudança na Constituição prevendo o piso. Então, se foi feita uma emenda constitucional, não há porque julgar inconstitucional uma lei que regulamenta esse dispositivo", alegou.

Além disso, o MEC anunciou que vai liberar este ano 1 bilhão de reais para as prefeituras que comprovarem que a falta de dinheiro foi causada exclusivamente pela implementação do Piso e seus reajustes. Em fevereiro, o MEC reajustou o valor do Piso de R$1.024,00 para R$1.187,97.

Jornada extraclasse:
 
A Lei define no parágrafo quatro do artigo 2º o cumprimento de, no máximo, 2/3 da carga dos professores para desempenho de atividades em sala de aula. Sobre este ponto, os governadores alegam que com o aumento das horas que cada professor terá que cumprir para o planejamento das aulas e a consequente diminuição das horas dentro de sala de aula, os estados vão ser obrigados a contratar mais profissionais. Com a aprovação da Lei do Piso os mestres devem reservar 33% do seu tempo com planejamento. Para os governadores, esta obrigação interveio na organização dos sistemas de ensino estaduais. A Lei de Diretrizes e Bases (LDB) diz como seriam os sistemas de ensino nos estados, mas cada estado tem sua autonomia.

Para a CNTE, o tempo destinado para o planejamento das aulas é importante para elevar a qualidade do ensino. “Um professor sem tempo para planejar o que irá passar para o aluno, acaba fazendo um mau trabalho. Esta jornada extraclasse não é para descansar. Continua sendo mais uma etapa do trabalho”, explicou Leão.

Mobilização dos trabalhadores em educação
 
Desde então, a CNTE e as suas 41 entidades afiliadas se mobilizam para pedir urgência no julgamento da Ação e que os ministros reconheçam a legitimidade da Lei. No ano passado preparou um dossiê que reúne 159 depoimentos com as angústias dos educadores de todo o país sobre o não cumprimento da lei do Piso. O documento foi entregue no dia 16 de setembro do ano passado ao ministro da Educação, aos presidentes da Câmara, do Senado e do STF.

A mobilização rapidamente surtiu efeito. Um dia após a manifestação, o ministro relator Joaquim Barbosa entregou o relatório da Ação, documento que faltava para que a ADI entrasse na pauta de votação do STF. “O não julgamento da Ação tem causado um problema enorme que são as múltiplas interpretações que os gestores fazem da lei. Temos que acabar com isso, para que possamos construir uma educação pública de qualidade”, ressaltou Leão.

Reajustes
 
Além da luta pela implementação do Piso, a CNTE briga pela aplicação do reajuste conforme estabelece a Lei. A lei aprovada pelo Congresso fixa como parâmetro o aumento de gasto por aluno/ano no Fundeb. A divergência é se deve ser considerada a variação do ano anterior, isto é, de 2009 e 2010, ou a atual, de 2010 para 2011. A Advocacia-Geral da União (AGU) argumenta que, em 2011, só existe uma estimativa de receita e que seria temerário dar um reajuste com base em previsões. Já a CNTE diz que a lei é clara e fala no ano atual e aconselha os sindicatos a contestarem o Piso do MEC na justiça.

No ano passado o MEC reajustou o Piso de R$950,00 para R$ 1.024,67, mas a CNTE reivindicou o aumento para R$ 1.312,85, que, infelizmente, não foi atendida. Para este ano, a CNTE afirma que o reajuste deveria ser de 21,71%, o que elevaria o valor do Piso para R$1.597,87. No dia 24 de fevereiro o MEC anunciou o reajuste de 15,84%, o que significa que o valor do Piso dos Professores passa a ser de R$1.187,97. Uma diferença considerável.

Para Roberto Leão é importante que a Ação seja julgada agora. “Temos muitos estados em greve por culpa, principalmente, da má remuneração dos educadores. Convocamos nossas afiliadas a lutar pela correta aplicação do Piso. Temos a convicção de que não é justo protelar mais este julgamento e que o STF irá honrar a Casa votando não apenas a favor dos professores, mas de toda a nação que depende de cidadãos bem educados para levar o país rumo ao progresso”, concluiu. (CNTE)
 
Fonte: http://www.cnte.org.br/index.php?option=com_content&task=view&id=6501&Itemid=82

quinta-feira, 17 de março de 2011

Todo foco das atenções no Supremo, pela decisão da ADIN dos professores




Da WEB
 
"As atenções se direcionam hoje para o Supremo Tribunal Federal, que julga o mérito da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI n°. 4167) contra a lei do Piso Salarial do Magistério, aprovada quase por unanimidade, em 2008, pelo Congresso Nacional.

Em tempo: a sanção presidencial data de 16 de julho do citado ano, e, por estar sub judice, muitos alcaides & governantes do BR não pagam o piso. À época, o valor foi fixado em R$ 950.
Do DF, o deputado federal Raimundo Gomes de Matos , que defende o
cumprimento do piso aos professores da Educação Básica, lamenta que a valorização desses profissionais continue se arrastando por tanto tempo.

Isso, porque foram 13 meses de discussão entre a Câmara dos Deputados e o Senado Federal, e, agora, quase três anos já dura o processo movido por vários governadores contra a lei 11.738/08.
Gomes de Matos ressalta, ainda, que o piso era para ser pago desde 1 de janeiro de 2009. E, assim, muitos professores prometem fazer vigília em frente ao STF e, de lá, o parlamentar tucano cearense promete acompanhar o desenrolar da ADI n°. 4167.

A título de remember: o piso dos professores foi questionado pelos governadores do Ceará, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul -este último, hoje, já não faz mais parte dessa ação.

Fonte: Sônia Pinheiro- O Povo

quarta-feira, 16 de março de 2011

STF deve julgar nesta quinta a lei do piso do magistério.

Da WEB

Da CNM (Confederação Nacional dos Municípios)

Supremo Tribunal Federal deve julgar nesta quinta-feira a lei do piso do magistério


O Supremo Tribunal Federal (STF) deve julgar nesta quinta-feira, 17 de março, a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 4167, que questiona dispositivos da Lei do Piso Salarial (11.738/2008). A Confederação Nacional de Municípios (CNM) acompanhará o julgamento, e espera que o entendimento manifestado pelo STF na decisão liminar publicada em dezembro de 2008, seja mantido.

A decisão liminar do STF sobre a ADI suspendeu, temporariamente, o parágrafo que determinava o cumprimento de, no máximo, dois terços da carga horária do professor em atividades com os alunos. Além disso, deu nova interpretação para o piso salarial até o julgamento final da ação. De acordo com a decisão, o piso deixou de ser considerado como vencimento básico e passou a ser entendido como a remuneração mínima, composta pelo salário base juntamente com as gratificações e vantagens.

Para a CNM, a liminar do STF foi uma conquista para os Municípios. Pois, com ela o impacto financeiro que os Municípios teriam com o pagamento do piso salarial como vencimento, e a diminuição do tempo de permanência do professor em sala de aula, seria preocupante.

Assim, a CNM espera que no julgamento de amanhã essa posição seja mantida, pois caso os ministros do STF entendam o piso como constitucional, e determinem o pagamento retroativo das diferenças, o planejamento orçamentário municipal será prejudicado, além de gerar dívidas com os professores. O presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, pede aos gestores que estejam atentos e que acompanhem o julgamento da ação.

O educAÇÃO BR vai acompanhar e postar mais noticias.

terça-feira, 15 de março de 2011

Educação Profissional: Aumento de 21% na verba deste ano.

Da Web

MEC anuncia aumento de 21% na verba para educação profissional

 

Governo vai investir R$ 320 milhões para construção de escolas técnicas; país tem 1,14 milhão de matrículas de jovens no ensino profissionalizante

Da Redação do G1

O Ministério da Educação (MEC) aumentou em 21% a verba de investimento em educação profissional no país. Serão disponibilizados R$ 320 milhões para os estados investirem em reforma, ampliação, construção de escolas técnicas e aquisição de recursos pedagógicos. Em 2010, a verba destinada foi de R$ 263,4 milhões.

O MEC firmou convênios com 23 estados, e prepara acordo com Distrito Federal, Amazonas, Rio de Janeiro e Rondônia, que ainda não aderiram ao programa. Somente com os convênios firmados é possível repassar os recursos. A intenção do ministério é construir 176 escolas técnicas estaduais e criar mais 210 vagas para os estudantes.

O objetivo, segundo o MEC, é alcançar meio milhão de matrículas nas escolas estaduais. Atualmente as redes estaduais de ensino profissionalizante têm 289 mil matrículas. No total, 1,14 milhão de estudantes estão envolvidos com educação profissional no país.

A verba faz parte do programa Brasil Profissionalizado, criado em 2007, durante o governo Lula, e o aumento do repasse sinaliza a política de incentivo para ampliação da rede de educação profissional do país anunciada pela presidente Dilma Rousseff.  Ela deve anunciar o lançamento do Programa Nacional de Acesso à Escola Técnica (Pronatec) para facilitar o ingresso de jovens nesse tipo de ensino.

O  novo governo pretende ampliar o acesso ao ensino médio técnico e à educação profissionalizante por meio de financiamento e distribuição de bolsas de estudo. A intenção do governo é dar incentivos aos cursos que permitem aos jovens chegar mais rápido ao mercado de trabalho, aumentando o número de alunos nas escolas técnicas.

Especialistas consideram que a iniciativa do governo pode fortalecer a educação profissionalizante, mas ressaltam que é fundamental dar atenção à qualidade do ensino. Baixa procura, evasão alta e qualidade ruim dos cursos são problemas que afetam este tipo de educação no país.

A educação profissionalizante é dividida em três modelos de cursos técnicos:integrado, concomitante e subsequente (veja tabela ao lado). Os números do Censo Escolar 2010 mostram que no ano passado o país registrou 1,14 milhão de matrículas de jovens na educação profissionalizante, sendo 920 mil matrículas na educação profissional e 215 mil são matrículas referentes aos cursos de ensino médio integrado ao técnico. É um universo pequeno se for comparado ao total de alunos de ensino médio nas redes públicas e privadas do país, que é de 7,2 milhões.

Ainda de acordo com o Censo Escolar, 56,5% das matrículas estão na rede privada, e 44,5% nas escolas municipal, estadual e federal. Nos últimos oito anos, a rede federal mais que dobrou a oferta de matrícula de educação profissional, com um crescimento de 114% no período.

De acordo com especialistas, o programa do governo pode ajudar a solucionar problemas no ensino profissionalizante. Para José Augusto de Mattos Lourenço, presidente da Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep) e vice-presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino no Estado de São Paulo, a procura pelo ensino médio técnico ainda é baixa e o programa pode mudar este cenário, porém, é necessária a criação de mais instituições de ensino.

Atualmente, de acordo com o Censo Escolar, há 161 escolas privadas de ensino médio integrado e outras 2.447 de educação profissional.

“A baixa procura pelo ensino técnico se deve à questão financeira. Como o governo vai financiar, um maior número de alunos terá condições de estudar”, afirmou Mattos. Para ele, ao mesmo tempo que há uma demanda reprimida para o ensino médico, as instituições têm dificuldade de manter esta modalidade de ensino por conta do alto custo. “Os laboratórios são caros e as escolas vão pensar muito antes de investir da forma necessária.”

O professor da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Luis Aguilar considera que a maior vantagem do Pronatec será a de garantir a permanência do aluno na escola. “Este é o grande problema do ensino profissional. A evasão é alta pela questão financeira e também porque muitos alunos já trabalham.”

Os cursos profissionalizantes com maior número de matrículas na rede privada são enfermagem, segurança do trabalho, informática, radiologia, mecânica, administração, eletrotécnica, química e mecatrônica.

Segundo Aguilar, além de aumentar a procura pelo ensino médio técnico, o Pronatec pode provocar uma mudança no modelo de ensino e nas instituições. “Acredito em mudanças nos próximos dez anos até porque o sistema convencional não muda há muito tempo.”

Carmen Silvia Vidigal Moraes, professora da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP), disse que todo programa que visa a ampliação do ensino é bem-vindo, porém é preciso se atentar à qualidade. “É a mesma crítica que faço ao ProUni, pois corre-se o risco de se fortalecer uma rede de ensino privada desqualificada. Seria melhor garantir um bom curso médio para o aluno ir para escola pública. Por outro lado, vejo que o governo tem se preocupado em criar mecanismos de inspeção para garantir a melhoria do ensino.”

Para Carmen, o ensino médio técnico e a educação profissional seriam canais para atender as demandas econômicas e sociais geradas pelo mercado de trabalho, principalmente com a Copa do Mundo e as Olimpíadas no Brasil. “Não há mão de obra suficiente”, afirma.

De acordo com a professora, uma maneira de resolver a questão do déficit na infraestrutura dos colégios que alegam alto custo de investimento seria criar centros de educação profissional regionalizados, e aproveitar o espaço das escolas técnicas federais, estaduais e do sistema.

Pacto Pela Educação em Pernambuco


Do educAÇÃO BR

Foi anunciado nesta terça (15) o lançamento do Pacto pela Educação em Pernambuco, que pretende melhorar o que já foi feito desde 2007. Uma versão para educação do pacto que foi feito na segurança pública, o "Pacto Pela Vida", que de fato contratou mais policiais, compra de mais viaturas, equipamentos e até então, a diminuição dos índices de violência, mesmo que ainda para as nossas vistas e sensações, esses avanços não estão bem claros no cotidiano. Resta esperar (mais uma vez) que esse pacto conclua-se em mudanças e continuar protestando contra o caos que se encontra a nossa educação. Fora dos papeis coloridos e bonitos das propagandas pagas pelo governo sobre os avanços da educação no estado, temos um quadro real muito diferente.

Professores contratados de forma temporária onerando os cofres públicos e pouco contribuindo para uma qualidade no serviço em detrimento de professores concursados, dentro de uma política de ingresso no setor que desafia a constituição e o Ministério Público, escolas ainda sem professores, sem estrutura, professores que ganham o pior salário do Brasil, desrespeito ao piso salarial, fechamento de turmas de EJA, falta de educação e péssimo atendimento aos professores quando procuram órgãos da SEDUC, alguns diretores e gestores que não fazem uma gestão democrática. Todas são queixas reais proclamadas nas unidades de ensino para qualquer cidadão pernambucano ouvir.
Torcemos muito para esse pacto sair do discurso, mas tendo os pés no chão, ficamos com os dois pés atrás diante de anuncios de politicas de investimento e de gestões preocupadas realmente com a educação no Brasil, e do jeito que as coisas estão indo, em Pernambuco principalmente.
Governo do Estado lança Pacto pela Educação

Assessoria de Comunicação (SEDUC-PE)

Melhorar o desempenho da Educação em Pernambuco, fortalecendo os benefícios já conquistados desde 2007 e ampliando-os para outros setores. Essa será a meta principal do Pacto pela Educação lançado pelo Governo de Pernambuco para essa segunda gestão de Eduardo Campos. Para isso, gestores das secretarias de Educação (SE) e Planejamento e Gestão do Estado (Seplag) trabalharão de forma integrada para melhorar o desempenho no setor.

A primeira reunião de trabalho aconteceu nesta segunda-feira (14), na sede da SE. Participaram do encontro os secretários executivos Aurélio Molinda (SEDE), Margareth Zaponi (SEGE) e Paulo Dutra (SEEP), a gerente de articulação Renata Campos, o gerente da equipe da Seplag, Gustavo Abreu, além de representantes dos diversos setores da Secretaria de Educação e integrantes da equipe de planejamento.

O secretário executivo Aurélio Molina, que deu as boas vindas à equipe, destacou a importância do momento que a Educação vem passando no Brasil. “Vivemos um momento especial, onde há uma unanimidade acerca da importância da Educação para que o crescimento hoje registrado no País possa ter prosseguimento e ser sustentável. E temos o desafio de fazer a nossa parte”, destacou.

À secretária executiva, Margareth Zaponi, coube a apresentação de um painel geral da Educação no Estado, partindo do que foi encontrado pelo Governo Eduardo Campos em 2007, as ações emergenciais desenvolvidas e os avanços já alcançados desde então. “Encontramos uma situação caótica na educação e, mesmo sabendo que ainda há muito a ser feito pelo setor, nós já podemos comemorar a melhora de vários índices em Pernambuco”, explicou ela ao grupo.

Esse primeiro encontro serviu para que as duas equipes se conhecessem. Ao término da reunião foi definida uma agenda, onde integrantes da Seplag irão se reunir com as diversas gerências da SE, para que os componentes possam ir tomando ciência da peculiaridade de cada setor. Esses encontros se estenderão pelos próximos dias, possibilitando ao grupo, composto por 12 pessoas, entender o funcionamento de toda a rede de ensino do Estado.

O gerente da equipe de monitoramento, Gustavo Abreu, destaca que o objetivo do trabalho será o de ajudar a dinamizar melhor os investimentos. “Vamos inicialmente conhecer toda a secretaria, ajudar nos diagnósticos de possíveis estrangulamentos e buscar com os responsáveis por cada setor as soluções que possam ampliar os benefícios que o Governo Eduardo Campos já vem realizando na educação”.

Entre as diretrizes definidas pelo Governo de Pernambuco para o período de 2010 a 2014 estão a elevação dos índices educacionais, a construção de 140 escolas de referência e outras 17 de ensino profissionalizante, a melhoria da remuneração dos docentes, regionalizar as políticas de educação desenvolvidas e implantadas no governo, entre outros pontos.

segunda-feira, 14 de março de 2011

14 de Março. Dia da Poesia

Neste dia que tenta se dedicar a poesia, pois não existem dias para poesias, mas poesias para todos os dias, e nossos poetas são verdadeiros mestres do dizer, do falar além dos ouvidos, as poesias são escutadas pelo coração. Recife é conhecida como a cidade dos poetas, entre tantos maravilhosos nomes como João Cabral de Melo Neto, Carlos Pena, Ascenso Ferreira, Joaquim Cardozo, Clarice Lispector (européia que cresceu no Recife, onde aprendeu a lêr e escrever) escolhemos então nesse dia, obras do grande Manuel Bandeira. Sintam à vontade!

E a primeira poesia homenageia de forma atrasada o nosso Recife, que juntamente com Olinda fez aniversário dia 12 desse mês. Parabéns a Recife (474 anos) e Olinda (476 anos). Parabéns a poesia de todos os dias, elas são eternas!

Recife

Não a Veneza americana
Não a Mauritsstad dos armadores das Índias Ocidentais
Não o Recife dos Mascates
Nem mesmo o Recife que aprendi a amar depois
- Recife das revoluções libertárias
Mas o Recife sem história nem literatura
Recife sem mais nada
Recife da minha infância
A rua da União onde eu brincava de chicote-queimado
e partia as vidraças da casa de dona Aninha Viegas
Totônio Rodrigues era muito velho e botava o pincenê
na ponta do nariz
Depois do jantar as famílias tomavam a calçada com cadeiras
mexericos namoros risadas
A gente brincava no meio da rua
Os meninos gritavam:
Coelho sai!
Não sai!


Vou-me embora pra Pasárgada

Vou-me embora pra Pasárgada
Lá sou amigo do rei
Lá tenho a mulher que eu quero
Na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada

Vou-me embora pra Pasárgada
Aqui eu não sou feliz
Lá a existência é uma aventura
De tal modo inconseqüente
Que Joana a Louca de Espanha
Rainha e falsa demente
Vem a ser contraparente
Da nora que eu nunca tive

E como farei ginástica
Andarei de bicicleta
Montarei em burro brabo
Subirei no pau-de-sebo
Tomarei banhos de mar!
E quando estiver cansado
Deito na beira do rio
Mando chamar a mãe-d'água
Pra me contar as histórias
Que no tempo de eu menino
Rosa vinha me contar
Vou-me embora pra Pasárgada

Em Pasárgada tem tudo
É outra civilização
Tem um processo seguro
De impedir a concepção
Tem telefone automático
Tem alcalóide à vontade
Tem prostitutas bonitas
Para a gente namorar

E quando eu estiver mais triste
Mas triste de não ter jeito
Quando de noite me der
Vontade de me matar
— Lá sou amigo do rei —
Terei a mulher que eu quero
Na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada


POÉTICA

Estou farto do lirismo comedido
Do lirismo bem comportado
Do lirismo funcionário público com livro de ponto expediente protocolo e manifestações de apreço ao sr. diretor.
Estou farto do lirismo que pára e vai averiguar no dicionário o cunho vernáculo de um vocábulo
Abaixo os puristas
Todas as palavras sobretudo os barbarismos universais
Todas as construções sobretudo as sintaxes de exceção
Todos os ritmos sobretudo os inumeráveis
Estou farto do lirismo namorador
Político
Raquítico
Sifilítico
De todo lirismo que capitula ao que quer que seja fora de si mesmo.
De resto não é lirismo
Será contabilidade tabela de co-senos secretário do amante exemplar com cem modelos de cartas e as diferentes maneiras de agradar às mulheres etc.
Quero antes o lirismo dos loucos
O lirismo dos bêbados
O lirismo difícil e pungente dos bêbados
O lirismo dos clowns de Shakespeare
- Não quero mais saber do lirismo que não é libertação.